Campus de Cornélio Procópio
Cornélio Procópio, 29 de maio de 2017
Leitura: destaques de publicações culturais e científicas
Bactérias que preservam fósseis

Pesquisa Fapesp
Edição 255
Maio de 2017

Ação de microrganismos pode favorecer a conservação de fragmentos de tecidos moles, como olhos, veias e coração.

A bacia do Araripe, na divisa dos estados do Ceará, Piauí e Pernambuco, é uma das raras regiões no mundo a abrigar uma grande variedade de fósseis de animais pré-históricos com tecidos moles bem preservados. Em geral, essas estruturas — olhos, tecidos conjuntivos e fragmentos de fibras de coração — são as primeiras a se decompor e dificilmente se fossilizam.

Leia mais ou faça download

Amapá - A riqueza do estado mais preservado do Brasil

Horizonte Geográfico
Edição Especial

O Estado do Amapá, situado no Norte do território brasileiro, mantém a biodiversidade e recupera a história e as tradições de sua cultura original.

A expressão "do Oiapoque ao Chuí", que dimensiona o tamanho do Brasil, pode ser ampliada. Acima do Oiapoque, o rio e a cidade, o país vai até o Cabo Orange, avançando pelo Atlântico. A bela paisagem compõe uma parte do cenário do Amapá. Nada menos que 17 unidades de conservação buscam manter intacto esse refúgio de belezas naturais, temperado por tradições culturais únicas.

Leia mais ou faça download

Risco de palpitação cardíaca

Scientific American Brasil
Edição online
Maio de 2017

O consumo regular de chocolate pode estar associado a um risco menor para desenvolver fibrilação atrial, uma irregularidade rítmica cardíaca associada a ocorrência de palpitações. Foi o que descobriu uma pesquisa publicada online na revista científica Heart.

Segundo sugerem os resultados, o efeito parece ser mais consistente quando o consumo é de uma porção do alimento por semana, no caso das mulheres, e entre duas e seis para homens, também ao longo de uma semana.

A fibrilação atrial afeta mais de 33 milhões de pessoas em todo o mundo, e um entre quatro adultos tem propensão a desenvolvê-la em algum momento de sua vida. Não está claro exatamente qual é sua causa, mas atualmente não há cura, nem ao menos uma forma de prevenção.

Leia mais

Governança corporativa em tempos de Lava Jato

Melhor, Gestão de Pessoas
Edição online
Maio de 2017

O Brasil continua em destaque mundial por causa de seus escândalos políticos envolvendo companhias nacionais e internacionais. A Operação Lava Jato* é um exemplo clássico de como uma grande estatal passou de maior empresa do país em patrimônio à agente principal de um esquema de lavagem de dinheiro – o mais comentado dos últimos tempos.

Apesar de ser um case de insucesso em gestão, a Operação Lava Jato contribuiu para que as organizações repensassem os seus modelos de negócio, com foco nos serviços de suporte à gestão transparente e eficiente. Além das organizações de capital aberto, destacam-se neste processo as pequenas e médias Empresas, que sentiram a necessidade de participar desse movimento junto com as grandes corporações a fim de manter o controle periódico de suas atividades.

* A forma correta da expressão é "lava a jato".

Leia mais...

Geossistemas e Geografia no Brasil

Revista Brasileira de Geografia
Vol. 61, Edição 2 online
2º semestre de 2016

A geografia brasileira tem dispensado atenção especial à ideia de geossistemas, considerada base teórica e metodológica inspirada em trabalhos de geógrafos estrangeiros, sobretudo franceses e soviéticos. Este trabalho analisa aspectos conceituais e terminológicos da teoria dos geossistemas visando uma melhor compreensão de seu significado e aplicação. Para tanto, diversas interpretações sobre os geossistemas foram avaliadas, tendo por critério a biografia dos autores, as suas referências e ferramentas interpretativas disponíveis, bem como seus pressupostos. O trabalho permite compreender que o horizonte epistemológico alcançado pela teoria dos geossistemas permitiu integrar diferentes perspectivas para o estudo de áreas naturais. Não obstante, a teoria em questão ainda apresenta certa dificuldade de interpretação e aceitação no Brasil por vários motivos.

Faça download para ler

Aprender não é um dom natural

Ensino Superior
online
Maio de 2017

De acordo com a pedagoga Walkíria Rigolon, as instituições escolares deveriam ensinar procedimentos e técnicas de estudo para ajudar alunos de todos os níveis, incluindo os da pós-graduação, a sistematizar o que aprendem.

Como professora da educação básica, Walkíria Rigolon passou anos e anos falando para seus alunos se esforçarem mais para aprender. Foi somente depois que começou a trabalhar com a formação de professores que lhe veio a constatação de que os alunos, na verdade, só não estudavam mais porque não sabiam como fazê-lo. Os futuros docentes com os quais ela lidava se queixavam com frequência da dificuldade para produzir resumos, fichamentos, enfim, sistematizar o conhecimento que estavam adquirindo. Se eles mesmos não conseguiam fazer isso, como ajudariam as crianças nessa tarefa?, pensou Walkíria. A partir daí, a pedagoga, hoje mestre e doutora em Educação, passou a se dedicar ao tema.

Leia mais

Oito transformações recentes da língua portuguesa e como a escola deve lidar com elas

Revista Educação
Edição 239
Maio de 2017

Mudanças na língua ocorrem sem que se perceba e se revelam quando menos se espera; o que a escola deve fazer?

Como outras coisas, as línguas mudam sem que o fato seja percebido.

Restaurantes self-service parecem ter existido desde sempre, como os celulares e os computadores pessoais. Ou calça jeans. Mas basta, para isolar um desses fenômenos, ver imagens de 1950, por exemplo, para verificar que as pessoas se vestiam de maneira diferente.

As imagens do Maracanã depois do segundo gol do Uruguai em 1950 mostram homens de terno e de chapéu. E o Maracanã não era uma “arena” para público seleto, como foi na Copa de 2014. Aliás, por mais caro que fosse o ingresso, havia muita gente de camiseta, tênis e bermuda, com bolsos para carregar celulares sofisticados e cartões de crédito. Estes, aliás, onde estavam em 1950?

Com as línguas ocorre a mesma coisa.

Leia mais

Conversa sobre bactérias regada a cerveja

Ciência Hoje
Edição online
Maio de 2017

Bate-papo descontraído sobre microrganismos benéficos ao corpo humano deu a largada para a edição brasileira do Pint of Science, festival internacional em que cientistas se reúnem com o público em bares, restaurantes e cafés para falar sobre temas científicos.

Você sabia que há mais micróbios na Terra do que estrelas no universo? Essa informação surpreendeu muitos dos presentes ontem à noite em um bar do Rio de Janeiro. Num bar??!! Sim! O grupo estava reunido para uma das primeiras sessões do festival internacional de divulgação científica Pint of Science, que tem como objetivo proporcionar debates divertidos sobre os mais variados temas da ciência em um formato acessível para o público e em ambientes descontraídos, como bares, restaurantes e cafés.

Leia mais

Contabilidade Colaborativa, um movimento que poderá mudar o futuro da atividade no Brasil

Empreendedor
Edição online
Maio de 2017

É inegável que a contabilidade vem passando por uma evolução sem precedentes nas últimas décadas, não só no Brasil como em todo o mundo. Fatores como o aumento da necessidade de informações padronizadas por parte de Governos e empresas, a globalização e o surgimento de princípios e normas mais específicos e exigentes tornaram a atividade cada vez mais essencial.

Ao mesmo tempo, a era digital trouxe o suporte da tecnologia, em que ferramentas e softwares transformam pilhas de papeis em um fluxo de trabalho organizado e eficaz. Nesse contexto, surge a Contabilidade Colaborativa, um modelo que suporta a máxima eficiência e dá ao empresário contábil e ao escritório total controle para a tomada de decisão.

Leia mais

O lugar da licenciatura

Ensino Superior
Revista online
Novembro de 2016

Pesquisador de educação, professor e reitor honorário da Universidade de Lisboa, António Nóvoa propõe que IES criem “casa de formação docente” e se preocupem com a identidade profissional dos futuros professores.

António Nóvoa avalia que “historicamente, a universidade manifestou grande indiferença à educação básica” e, consequentemente, à formação de professores nas licenciaturas. Mas, segundo o pesquisador, ainda há formas de o setor se reconciliar com os professores, que são, em verdade, os instrutores básicos de todos os futuros universitários.

Dentre os caminhos para isso, o pesquisador português aponta a necessidade de as IES terem um comprometimento sério com a formação docente, criando, por exemplo, departamentos direcionados a pensar como e por que é importante formar professores em licenciaturas que podem – e devem – estar mais integradas.

Leia mais

The Wall at the End of the Empire

Archaeology
Edição 342
April 2017

When the emperor Hadrian visited the province of Britannia in A.D. 122, he was in full command of the entire Roman Empire, which stretched some 2,500 miles east from northern Great Britain to modern-day Iraq, and 1,500 miles south to the Sahara Desert. He had become emperor five years earlier, after a controversial postmortem adoption by his predecessor and guardian Trajan, and he ruled until his death in 138, at the age of 62, likely of a heart attack. In just over 20 years, he became, according to an anonymous ancient source, the “most versatile” of the Roman emperors. He was a battle-tested solider who fought with Trajan in Dacia, a skilled politician who masterminded the consolidation of the empire’s territory, a faithful patron and lover of the arts, and a tireless traveler who visited nearly half the empire during his reign.

Leia o artigo

Visitantes:



Compartilhe no LinkedIn