Campus de Cornélio Procópio
Cornélio Procópio, 27 de fevereiro de 2021
Pesquisa Fapesp traz muitos artigos excelentes
Na maior parte, sem ranço ideológico

A revista Pesquisa Fapesp é possivelmente o maior e mais atualizado repositório nacional de artigos e informações científicas do país, trazendo o resultado de estudos de renomados pesquisadores e as novidades que estão alimentando o desenvolvimento de novas e importantes investigações. Está disponível, por assinatura, em versão impressa e, com acesso gratuito, na versão digital. Mesmo edições anteriores estão disponíveis para leitura online. Faça sua inscrição, para receber o boletim informativo de atualizações, neste endereço: Boletim.

Não considerando muitos artigos direcionados aos aspectos relacionados com a Covid-19 (que constitui boa parte do conteúdo), encontra-se material de grande interesse científico realmente para pesquisadores e professores.

Para exemplificarmos, seguem títulos e trechos de artigos constantes da última edição do Boletim.

Em Plutão, mais rochas e menos gelo - Análise da forma das crateras reforça a possibilidade de uma composição mais densa para o planeta anão.

Crateras de impacto de Plutão, com diâmetros entre 5 km e 60 km, à esquerda da planície Sputnik (área mais clara, em fomato de balão) [NASA/JHUAPL/SwRI]

(Foto: NASA/JHUAPL/SwRI)

"Plutão, planeta anão distante quase 5 bilhões de quilômetros da Terra, tem uma temperatura superficial média de -230 graus Celsius, e pode ser constituído por uma proporção maior de rochas do que os 60 a 70% já estimados – o restante é gelo. Essa possibilidade o tornaria mais parecido com Tritão, uma das luas de Netuno, e menos parecido com Calisto e Europa, as luas geladas de Júpiter com as quais tem sido comparado. Tritão deve ter cerca de 75% de rocha e ferro e Calisto 60%." (excerto)

Entre a exuberância e a destruição - Projeto Flora do Brasil 2020 mostra que o país tem a maior diversidade de plantas do mundo, com 46,9 mil espécies nativas, embora conviva com intenso desmatamento.

As cactáceas predominam na Caatinga do Parque Estadual da Mata Seca, em Minas Gerais (Domingos Cardoso)

(Foto: Domingos Cardoso)

"(...) Resultado de 12 anos de trabalho de 979 pesquisadores de 224 instituições em 25 países, o Flora do Brasil 2020 é uma plataforma on-line de acesso aberto com descrições científicas, chaves de identificação taxonômica e imagens de 46.975 espécies de plantas, algas e fungos nativos já reconhecidos no país. Traz também 3.041 espécies naturalizadas ou cultivadas, como manga, batata, tomate e café. O total de espécies nativas coloca o Brasil como o país com maior diversidade de espécies do mundo..." (excerto)

Mutilação que salva - Para fugir de predador, escorpião decepa o próprio abdome e perde órgãos vitais, mas consegue sobreviver e até se reproduzir.

Escorpiões costumam usar o ferrão - ou aguilhoamento - para caçar (John Uribe)

(Foto: John Uribe)

"O veneno de Ananteris balzani, assim como o da maioria dos escorpiões, é fraco e pouco eficaz para deter predadores como ratos e corujas. Mas, quando apanhado pela cauda e prestes a ser devorado, o artrópode, um animal noturno de 2 a 3 centímetros de comprimento que vive em regiões rurais e se esconde na camada de terra e folhas secas sobre o solo (a serrapilheira), consegue escapar com uma estratégia radical: agarra-se ao solo com as pernas e faz movimentos vigorosos até provocar o rompimento de parte da cauda. Geralmente, o trecho mutilado cai se contorcendo no chão, o que ajuda a distrair o predador enquanto o escorpião foge. (...) (excerto)

Mapa interativo traça rota de Hercule Florence na expedição Langsdorff - Plataforma digital reúne relatos e desenhos que vão de 1825 a 1829, em viagem que cruzou os atuais estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Pará.

Documento permite explorar trajeto de 13 mil quilômetros, com desenhos e relatos (Reprodução)

(Foto: Reprodução)

"No dia 3 de setembro de 1825, o futuro inventor francês Hercule Florence (1804-1879), então com 20 anos, embarcou em um navio no Rio de Janeiro para uma viagem que viria a durar quatro anos. Contratado como segundo desenhista da expedição Langsdorff, financiada pelo Império Russo para documentar a história natural do Brasil, ele iniciaria naquele dia sua jornada científica país adentro. ‘Ajudados por um vento fresco, fizemos em 24 horas uma travessia de 70 léguas até Santos [...], cidade de seis mil habitantes, onde vimos apenas um veleiro três-mastros português e algumas embarcações de cabotagem, é, todavia, o primeiro porto da província [...]’, escreveu..." (excerto)

“Escolhi ‘resiliência’ como a palavra de 2020: foi o ano da resistência pessoal e psicológica, em todos os sentidos” - No Instituto Tecnológico Vale o geólogo Roberto Dall’Agnol vive restrições ao trabalho de campo para pesquisa voltada para o desenvolvimento territorial sustentável.

Em sala de reunião do Instituto Tecnológico Vale, em 2013: atividades presenciais foram interrompidas com a pandemia (ITV)

(Foto: ITV)

"Com a pandemia, a Vale determinou home office para todos os que não eram da área de operação da mineradora. Em termos de pesquisa, a principal dificuldade foi a restrição a viagens de campo. A amostragem geoquímica para monitoramento ambiental é feita por empresas contratadas, mas precisamos acompanhar – isso é muito importante para o sucesso do projeto. No primeiro semestre do ano passado, ninguém viajou. No segundo conseguimos algumas vezes, o que garantiu a manutenção das atividades. Mas nossas metas para 2020 foram afetadas, o que é complicado em uma empresa. (...)" (excerto)

Onde surgiram os pássaros - Maioria das espécies teria emergido em ambientes extremos dos trópicos, como desertos e montanhas, e depois se fixado em outros biomas.

Tapaculo-da-chapada-diamantina (<i>Scytalopus diamantinensis</i>), natural dos campos rupestres da Bahia (Ciro Albano)

(Foto: Ciro Albano)

"Quase um terço das aves do Neotrópico, região que vai do sul do México e do estado norte-americano da Flórida até o extremo sul da América do Sul, pertence à subordem dos suboscines. Esse grupo abrange 1.306 espécies de pequeno porte, quase todas presentes apenas nas Américas, entre as quais algumas muito conhecidas, como o bem-te-vi (Pitangus sulphuratus) e o joão-de-barro (Furnarius rufus). A Amazônia, a Mata Atlântica e a parte norte dos Andes são atualmente as grandes áreas de concentração de biodiversidade, os chamados hotspots, da subordem, uma das duas em que se divide a ordem dos Passeriformes, os populares passarinhos, aves de pequeno porte, muitas delas conhecidas pelo canto harmonioso. Mas nem sempre foi assim..." (excerto)

Leia a edição eletrônica de Pesquisa Fapesp que está disponível gratuitamente em Pesquisa Fapesp. Boa leitura!

Visitantes:



Compartilhe no LinkedIn