Campus de Cornélio Procópio
Cornélio Procópio, 16 de setembro de 2021
Museu do Ipiranga reabrirá em 2022: É visita obrigatória
Um orgulho para os brasileiros

O Brasil vai comemorar, no próximo ano, o bicentenário da independência do país, e dentre os festejos está um que traz o maior orgulho para os brasileiros e, em especial, aos paulistanos: a reabertura do Museu do Ipiranga, como é conhecido o oficialmente denominado Museu Paulista.

Com sérios problemas de conservação — responsabilidade da Universidade de São Paulo (USP), desde 1963 —, principalmente em sua estrutura. Com infiltrações que deterioraram e ameaçaram causar o desabamento dos forros, o Museu foi fechado em 2013 para a realizaçao de um grande projeto de recuperação, que incluia o próprio acervo.

O prédio, inaugurado em 1892, estava com diversas rachaduras e acúmulo de bolor, provocado pela retenção de umidade atrás da cobertura de tinta plástica, impededindo a "respiração" das paredes. Algumas paaredes internas estavam esboroando.

A belíssima arquitetura mistura influências alemã, italiana e francesa, que entretanto resulta num complexo admirável por sua ecleticidade, mas que se conclui num conjunto muito harmonioso, tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

O ajardinamento do Parque da Independência se deve a Arsenio Puttermans, paisagista belga, que fez um projeto de jardim, inspirado nas formas neoclássicas do francês André Le Nôtre, tendo sido inaugurado em 1909. Em 1922, todo o terreno do jardim foi rebaixado em 14 metros, com o jardim sendo refeito e instalados 100 chafarizes.

De acordo com o governo paulista, o investimento total da recuperação do Parque da Independência é de R$ 210 milhões, sendo R$ 170 milhões investidos pela iniciativa privada (via renúncia fiscal do governo federal, com amparo na Lei Rouanet), R$ 19 milhões pelo Governo de São Paulo e R$ 11 milhões pela própria USP.

Conforme notícia do G1, "a obra chegou a ficar parada por seis anos, e foi retomada em 2019. O espaço é um dos cartões postais da capital paulista e tem mais de 450 mil itens no acervo."

Atualmente, com 70% das obras concluída (informação do governo do Estado de SP), o início das festas da reinauguração, que deverão durar um mês, está com previsão para agosto do próximo ano, culminando com a entrega do Museu para o público em 7 de setembro.

Visitar o Museu do Ipiranga é vivenciar uma experiência inesquecível e compulsória. Reserve dois ou três dias para conhecer esse maravilhoso museu, orgulho de todos os brasileiros.

O Museu do Ipiranga em construção, em 1888 (Acervo: Museu Paulista / USP) O Parque da Independência, com o edifício do Museu do Ipiranga e o jardim "francês" (1922), em 1930 (Acervo: Museu Paulista / USP)
Vista parcial do jardim francês, em janeiro de 1943 (Acervo: Museu Paulista / USP) O Parque da Independência: Museu do Ipiranga e jardim francês (Foto: Museu Paulista)
Restauração do jardim francês, mantendo suas belas característica originais (Foto: Hélio Nobre / Museu do Ipiranga) Os restauradores agindo na maquete do museu, usada para deficientes visuais (Foto: Gilberto Marques / IstoÉ)
Os restauradores observando a galeria superior da maquete do edifício, com enormes rachaduras no teto e nas laterais (Foto: Divulgação / Governo do Estado de SP) A galeria superior do próprio edifício (Foto: Museu Paulista / USP)
Ampliação sob a entrada principal do museu (Foto: Leo Ramos Chaves / Pesquisa Fapesp) Visão do artista do Museu do Ipiranga restaurado e ampliado (Foto: H + F Arquitetos)
Saguão com a estátua do bandeirante Antônio Raposo Tavares, ao fundo (Foto: Museu Paulista) Carruagem do século XIX (Foto: Museu Paulista)
Salão nobre, construído para abrigar a tela "Independência ou Morte", de Pedro Américo (Foto: Museu Paulista) Museu do Ipiranga (Fotos: Museu Paulista)

Fontes:
Rumo ao bicentenário, Pesquisa Fapesp
A um ano da reabertura do Museu..., Pesquisa Fapesp
Vida nova para o Museu..., Pesquisa Fapesp
Museu do Ipiranga, Museu Paulista, USP

Visitantes:



Compartilhe no LinkedIn